Buscar
  • Álysson Correia

Como manter a calma em um mundo aparentemente caótico.


Pergunte a si mesm@: você está tendo dificuldades para cuidar de si ou colocar suas necessidades em primeiro lugar? Você está obcecad@ com mídia social, distraíd@, fora de sincronia com sua rotina normal, não se alimentando da melhor forma e a vida anda num ritmo extremamente acelerado?

Se isso soa como um enorme SIM para você, respire fundo e leia estas dicas para ajudá-l@ a encontrar a calma em meio ao caos.


Dica 1: Pare. Reconheça o gatilho.

Um gatilho é uma reação interna a uma energia, ação, sentimento ou incidente externo que - uma vez introduzido no corpo - pode roubar e temporariamente ultrapassar os sistemas emocional, nervoso e mental. Quando isto acontece podemos nos sentir desconfortáveis, ansiosos, oprimidos ou inseguros.

Primeiro admita que algo “puxa este gatilho". Não o esconda, ou tente ignorá-lo, porque ele continuará atuando no sistema nervoso de qualquer jeito! Pare. Reconheça o gatilho e entenda o que seus nervos e emoções estão fazendo. Reconhecer o gatilho ajudará você a entender melhor o comportamento do seu corpo e quando não o ignoramos entendemos sua energia e o que ela quer dizer sobre nossas necessidades, preocupações e medos.


Dica 2: Saia daquilo que te faz mal.

Desvinculando-se conscientemente do estímulo negativo, você estará dando apoio ao seu sistema nervoso para voltar ao seu ritmo (espero que mais lento e mais tranquilo!).

A consciência de crise é uma parte da nossa realidade humana co-criada. Podemos ficar presos ou viciados em eventos de trauma, más notícias e preocupações. É importante dar-se momentos fora da grade de informações, tempo em que você não acompanha as notícias ou as mídias sociais, ou até mesmo conversar com amigos sobre situações estressantes e inquietantes.

Podemos criar uma vida mais estável e tranquila através das escolhas que fazemos. Todos os dias, você tem a opção de decidir que tipo de informação você está dispost@ a aceitar, o que é saudável e o que não é. Se você perceber que muitas notícias, mídia perturbadora ou amigos que constantemente são negativos incomodam, reserve um tempo para se afastar, afaste-se dessa informação e cuide de si.


Dica 3: Medite.

Um exercício simples e eficaz para trazer seu foco de volta e liberar energias do seu sistema é a meditação:

- Pela manhã, sente-se confortavelmente por cinco minutos, feche os olhos e traga sua atenção para dentro do corpo. - Escute suavemente sua respiração. Não tente mudar nada, apenas esteja dentro de si, sem julgamento.

- Então, depois de um minuto ou mais, a cada inspiração, veja se você pode começar a suavizar e relaxar a respiração. - Imagine a respiração se aprofundando e se alargando em seu corpo. - Imagine uma onda suave de energia de bom sentimento subindo e descendo pelo seu corpo, liberando energia presa e relaxando a mente.

- Gentilmente mova sua consciência para outras partes do corpo que se sentem apertadas, use sua respiração para relaxar qualquer tensão e liberar emoções restritas, e mergulhe mais fundo em seu corpo enquanto mantém seu foco relaxado e neutro.

- Ao fim destes minutos, abra os olhos devagar e, a partir desse estado centrado, defina suas intenções para o resto do dia.


Dica 4: Nutra-se.

Quando em um estado alterado, o sistema nervoso envia um sinal ao cérebro e ao corpo de que algo não está certo. É este sinal que queremos mudar. Imagine que o sinal seja uma corrente elétrica enviando um pulso que está fora de sintonia e fora do ritmo com o resto do corpo. Esse sinal cria agitação e desconforto.

Nossos nervos são treinados para captar a energia de outras pessoas. Esta é uma parte natural da nossa programação de sobrevivência. Se os outros estão fora de sintonia, especialmente quando uma nação inteira entra em trauma, é provável que nossos nervos percebam isso e comecem a ressoar com as massas.

O melhor remédio para mudar de um estado alterado é criar uma experiência que lhe pareça boa e acalme o sistema como um todo:

- Faça uma caminhada de 20 minutos sem qualquer tecnologia, para acalmar o sistema nervoso e aterrar o corpo.

- Entre em contato com a natureza. Conecte-se com a terra, deitado debaixo de uma árvore, tomando um banho de rio ou mergulhando no mar. Isso ajudará seu corpo a voltar à sua própria ressonância e acalmará os nervos.

- Cerque-se de boa experiência. Procure pessoas boas e cultive bons sentimentos.

- Tente Yoga, acupuntura, massoterapia, reiki e outras formas sadias de liberar estas energias negativas.

- Passe o tempo com amigos. Cozinhe alimentos naturais e celebre os bons momentos que você tem em sua vida.

- Tome uma atitude. Se é hora de colocar um pouco de energia na política ou em um projeto criativo com o qual você sonha, decida quanto tempo e energia você precisará investir e avance com passos razoáveis e focados. Seus esforços devem se integrar contigo e não ultrapassar as barreiras da saúde física e mental na sua vida.

- Obtenha ajuda profissional. Se você está experimentando um sentimento constante de desconforto e medo, comece a fazer um plano para trabalhar conscientemente com esses sentimentos. Há muitas maneiras de curar o sistema nervoso e trabalhar com trauma, e não deve haver vergonha em admitir que você não se sente seguro.


Dica 5: Exercite o discernimento.

O discernimento é a capacidade de julgar bem. Quando estamos em um estado alterado, podemos nos sentir como se perdêssemos a capacidade de escolher e podemos nos sentir sobrecarregados. É importante nestes momentos lembrar que você tem a capacidade de discernir e usar seu conhecimento para tomar decisões poderosas sobre onde colocar sua atenção.

Você é o único dono da sua valiosa energia, tempo e consciência. O discernimento é uma ótima ferramenta para ajudar a manter o foco no que é importante para você. Tome tempo e descubra quais são suas prioridades. Uma vez que você está ciente do que é mais importante para você, você pode usar esse conhecimento como um filtro para discernir quais informações, relacionamentos e problemas são importantes para você - junto com o que você pode deixar de lado.

O objetivo aqui é treinar a mente a se concentrar em suas necessidades e no que você deseja criar. Existem muitas situações na vida em que temos a oportunidade de nos desviar. Ao exercitar o discernimento e confiar no que parece “certo”, podemos nos proteger e não nos perder no turbilhão de confusão, dúvida, opressão ou negatividade.

As decisões são importantes. Eles definem nossa vida e nosso futuro. Quando usamos o discernimento, temos uma conexão consciente com nossas escolhas e como gostaríamos de nos mover no mundo.


Dica 6: Admita sua imperfeição.

É bem provável que exista uma voz na sua cabeça que diz que você não é bom o suficiente, isto acontece com todos nós. Essa voz está conectada a uma parte nossa que é autodestrutiva e nos intimida. O perfeccionismo é um assassino, enfraquece a criatividade, ataca o corpo, cria ansiedade e suprime a vontade interior. Ao aceitar sermos imperfeitos, afrouxamos o domínio da energia autodestrutiva e lentamente começamos a ultrapassar as estratégias de sobrevivência subconsciente.

Nossos sentidos subconscientes de sobrevivência, os conhecidos "fuga ou luta", são primitivos. Eles são importantes em momentos realmente perigosos, mas, eles não aparecem só em momentos assim. Eles podem surgir em situações como uma discussão, uma notícia que você lê, antes de você iniciar aquela apresentação no trabalho/faculdade...e qual o problema com isto? Além de alterar nossa resposta mental, a "fuga ou luta" também altera nosso sistema nervoso, jogando hormônios em nosso sistema, que leva até 60min para normalizar após a situação estressante. Este influxo de hormônios e sentimentos em momentos errados nos prejudica, nos faz analisar uma situação como mais estressante do que a realidade e pode trazer traumas e novos medos.

Tente acolher seus erros e siga em frente com um sentimento gentil de auto-aceitação e compaixão interior. À medida que você constrói o seu mantra “Eu não sou perfeito!”, Você descobrirá que criar uma melhor resiliência e autoconfiança pode se te levar à uma experiência de vida mais elevada.

1 visualização